O Desconhecido Perispírito
Home » Blog » Iluminação » Extraterrestre » Domingos Yezzi » O DNA do Espírito e os ETs » O Desconhecido Perispírito

O Desconhecido Perispírito

postado em: Domingos Yezzi, Extraterrestre, Iluminação, O DNA do Espírito e os ETs 0 |
Duração da Leitura 38 minutos

Canalizado por Domingos Yezzi, em 25/11/2004. Auxiliado por INK, líder do planeta ÁGA, 7º planeta do nosso Sistema Solar, ainda não descoberto pela Ciência.

O ser humano, desde que criou as religiões, em tempos imemoriais, o fez, na tentativa de religar o elo perdido entre a Criatura e o Criador, porém, como tudo o que o ser humano e a sociedade em que ele vive, sofre mutações no decorrer dos anos, e consequentemente suas ideias e seus objetivos também, num belo dia, alguém mais espertalhão, se reuniu junto a outros semelhantes e percebendo que os mais ingênuos e incautos, temiam o desconhecido, imaginou então com seus comparsas, quais seriam as melhores e mais eficientes maneiras de manter o restante da humanidade da época, nesse estado de contínuo medo e subordinação a um deus punitivo e amedrontador, que os castigaria sem mais nem menos, e que eles, os espertalhões, poderiam interceder por eles mediante aos mais variados tipos de contribuições. Primeiramente com alimentos extraídos de suas próprias plantações, depois, favorecimentos escusos e mais tarde, com donativos em dinheiro e que prevalece até hoje. Através da imposição de apavoramento premeditado, da formação das mais diferentes seitas e religiões, que com seus ritos pagãos e “sacros”, com vistas sempre na subjugação dos seus inimigos mais próximos, os quais, quando aprisionados eram oferecidos em holocausto aos seus deuses ou divindades, “sedentos” de sangue humano, “pediam” sempre mais e mais, e quando não havia prisioneiros, elegiam uma virgem, donzela, ou rapaz na tenra idade, escolhidos entre as suas próprias tribos, cujos parentes desolados eram convencidos de aquele ato era feito pelos “sacerdotes” com o fito de aplacar a ira dos deuses que assim, patrocinavam melhores colheitas para todos. Aqueles infelizes jovens, ainda eram obrigados a dançar antes de serem sacrificados, e não tinham outra alternativa a não ser cederem à volúpia daquelas divindades terríveis, intercedidas por aqueles que se intitulavam sacerdotes porque tinham maior conhecimento das energias que os rodeavam, negativas e obsediantes, que impiedosamente imolavam suas vítimas publicamente, extraindo-lhes o coração, ainda vivas, que depois de esgotado o sangue de seus corpos jovens e saudáveis, seus restos mortais eram jogados em grutas e fossos profundos. Muitas expedições modernas, encontraram milhares de esqueletos e crânios amontoados dentro das grutas como se ali tivessem sido empilhados por mãos hábeis e acostumadas em fazer aquele trabalho macabro. Aquelas barbáries, não paravam por aí, os sacerdotes impingiam outros sacrifícios, doações, pagamentos, trocas e injunções de todo tipo, inclusive sexuais, para que seus poderes pudessem aumentar e assim, manter sob seus domínios as massas crédulas e temerosas. Desta forma, aos poucos, divergindo aqui e acolá, as seitas, crenças e religiões foram se multiplicando pelo mundo, alterando as próprias normas, conceitos, raças e objetivos, os quais, passaram a ser de cunho pessoal, com interesses bem escusos e principalmente em busca de ouro e riquezas fáceis, conseguido à custa de civilizações inteiras, que passavam a acreditar no inimaginável, no invisível, no imponderável, que aqueles sacerdotes inculcavam sobre elas e as faziam ficar na dependência física e espiritual, sob coações psicológicas, mesmo que mal aplicadas. Surgiram muito tempo depois, as castas religiosas as seitas fechadas, as quais, sem exceção, arregimentavam discípulos, neófitos fervorosos e fanáticos para reforçarem suas fileiras. Construíram-se as primeiras igrejas rústicas, para mais tarde se transformarem em grandes catedrais com as “contribuições” do povo simples (os vassalos) e por outras vias, a contribuição dos potentados da época, nas figuras dos castelões e castelãs, dos reis, rainhas, príncipes, princesas, barões, condes, condessas, enfim toda a realeza, que também temente aos deuses, ficavam nas mãos daqueles sacerdotes.

Edificaram-se imensas catedrais, luxuosíssimas, denotando o fino gosto pela arte e pela música, por parte dos seus administradores. Isso veio enriquecer tanto aos potentados e bem como aos fiéis da época, e o Perispírito de cada um, registrava todos aqueles acontecimentos. Várias facções eclesiásticas foram formadas, cada uma com um tipo de pensamento e de objetivo. Na Idade Média, a Igreja tinha tanto poder, que conseguia colocar no interior de cada castelo, um frade capelão, que exercia influências das mais diversas sobre o castelão e seus familiares, bem como sobre todos os serviçais e lacaios, e por tabela, sobre todos os camponeses que trabalhavam nas terras do castelo, muitos dos quais eram internados em conventos próximos, quando desagradavam as ordens constituídas da Igreja, que não media esforços para chegar aos seus objetivos de aquisição de riquezas. Grandes pintores e escultores se engajavam literalmente no movimento religioso, a fim de caírem nas graças dos priores, padres, monges, capelões e assim, serem recomendados para fazerem grandes murais ou quadro com motivos sacros. Ao desencarnarem, os Perispíritos daqueles viventes levam em si, todo o aprendizado, mas também toda mágoa e raiva sobre aqueles que investidos de um manto religioso, compuscarvam a boa-fé de todos. Ao retornarem à vida, viriam como rebeldes e formando novas castas e seitas religiosas diametralmente opostas à Igreja, em princípios e finalidades, porém, sempre tendo como escopo a busca daquele elo perdido entre a Criatura e o Criador. Muitos se voltaram contra aqueles princípios, e buscaram os deuses da vingança, os deuses malignos. Devemos salientar que, todas aquelas facções, começaram a enfrentar e a se submeter à fenomenologia e aos apelos mediúnicos que de há muito já existiam e continuaram a existir e a aumentar até nossos dias, a miúde e descontroladamente, sob o efeito do álcool e das drogas, medicamentos ou ervas utilizadas pelos indígenas e aborígines, que sem saber exatamente como, recebiam e recebem as Entidades “protetoras”, que através de seus pagés, a princípio para ensinamentos e curas para depois, para trabalhos de magias, brancas e negras, a fim de derrubar inimigos ou desafetos, forçar o amor a outrem, subjugar o psiquismo dos fracos de Espírito, dominar as forças da Natureza e seus Elementais e seus elementos e outros mil sortilégios. Isso explica, por si só, sem que se necessite de comprovação científica, da permanência no Astral após a morte física, de energias individualizadas que movimentam os corpos quando em vida. Essas energias, entre elas, o Perispírito, ou Entidade Espiritual, ainda em estado semimaterial, que ficam no Espaço à disposição dos seres humanos e podem ser contatadas ou canalizadas através de médiuns ou intermediários que possuem o dom ou propriedade inata, ou se quiserem alguns, a sintonia fina em consonância com as psicosferas ou campos paralelos. Infelizmente, até os dias de hoje, início do Século XXI, ainda a Ciência não conseguiu descobrir aparelhamentos ultrassensíveis que pudessem ser utilizados pelo Perispírito em suas comunicações diretas com os assim chamados vivos, essas comunicações ainda dependem dos médiuns ou sensitivos, o que as torna um tanto pessoal e por isso mesmo, também um pouco desacreditada cientificamente, mas isso não quer dizer que essas energias não existem. Há outras energias ao redor do ser humano, também invisíveis, contudo mais grosseiras que o Perispírito, e que só são acreditadas e aceitas pelos seus resultados. Entretanto, já há um vislumbre de invenção dessa aparelhagem mais sofisticada, com o emprego da psicotrônica e da transcomunicação que permitem ver e ouvir imagens emitidas do “lado de lá” sem a presença de um médium, pelo Perispírito e que estão intrigando os cientistas e pesquisadores, porém ainda é o mediunísmo o melhor e mais completo ferramental à disposição das Entidades desencarnadas. Através dos sensitivos, o fluxo de fluídos energéticos e as informações inéditas oriundas dos mundos invisíveis, podem ser escritas e estudadas no mundo da terceira dimensão.

Na verdade, o progresso da comunicação entre o campo espiritual e o físico, se dá entre o Perispírito (também chamado de Corpo Astral), via mediúnica. Entretanto, há que ser considerado o variadíssimo tipo de fenomenologia existente nessa comunicação, dependendo sempre do grau de evolução da Entidade Comunicante, suas especialidades atuais no Astral, que de certa forma por carma ou por missão, têm a ver com suas vidas pretéritas e na mesma proporção em gênero, número e grau com o tipo de médium escolhido por ela, por exemplo: uma Entidade altamente intuitiva se acercará de um médium altamente intuitivo (é o caso deste sensitivo que capta e escreve estas páginas), sem que haja a necessidade de incorporação da Entidade viva ou desencarnada sobre ele, para que tudo pudesse ser escrito, razão pela qual este processo foi denominado por ele de mentografia, pois além de ele ouvir, sentir e às vezes presenciar o tipo de Entidade comunicante, se a mesma é viva, (um ET., como eu, por exemplo) ou se é desencarnada. Vive cada linha que lhe é transmitida, filtra através de seu Perispírito que é antiquíssimo, vislumbra as imagens do passado, presente e futuro, e tem muitas outras propriedades. Outro exemplo: uma Entidade afeita aos processos de interferência na matéria densa, que utiliza o fluído ectoplasmático, tais como: efeitos físicos, cirurgias diretamente na matéria, fenômenos de “aporte e de transporte”, necessitará de um médium de efeitos físicos, ou seja, aquela pessoa que tem a propriedade de fornecer os fluídos para fazerem a intercessão entre os dois planos, sem a qual, nenhuma intervenção no campo dos vivos poderia ser feita, mas para que tudo saia a contento, o médium também precisará de uma préambientação e condições especiais, com luz fraca e indireta para que não ocorram cortes das linhas fluídicas, pois suas células físicas estarão em constante movimentação e não poderão sofrer solução de continuidade, caso contrário, ele ficará disforme para o resto de seus dias, por essas e outras razões, são exigidas dos frequentadores das sessões de efeitos físicos, as devidas abstinências de álcool, de carne e de fumo, além do que, é proibido adentrarem ao recinto, as máquinas fotográficas com “flash”, tudo isso para não causar nenhum dano ao médium. Já os médiuns que possuem as propriedades de vidência, clarividência, aurividência, audiência, terão ao seu lado as influências de Entidades afeitas a essas fenomenologias. Desta forma, os fenômenos de ver o campo espiritual, prever, ouvir, detectar as Entidades, ouvir os sons, ver e sentir as cores áuricas das pessoas e dos objetos, incluindo-se ler o passado, o presente e o futuro, que é feito através de médiuns psicômetras, os quais, poderão ler e ver as camadas vibratórias e energéticas que permanecem impregnadas sobre as pessoas e coisas que foram tocadas por elas em passado muito remoto. Isto porque o Perispírito registra tudo e ele próprio, intuído e ajudado pelo seu próprio Espírito, vai “buscar” através dos tempos as ações que ficaram registradas nos “Registros Akáshicos”, de si mesmos e sobre os locais, coisas e objetos por onde passou e deixou suas marcas.

O Perispírito é o centro gerador de toda fenomenologia espiritualista e mediúnica. O que é o Perispírito? Como surge o Perispírito? Do que ele é composto? Ele tem vida própria? Qual é o tempo de duração dessa vida? Qual a diferença entre ele e o “corpo astral”, e entre ele e o Espírito? E a Alma é a mesma coisa?

O Perispírito é o primeiro corpo após a morte física, que conserva os biótipos de quando ele estava em vida. Possui todos os órgãos similares ao corpo que ele deixou na crosta terrestre. O corpo físico é revestido pelo “duplo etérico”, que por sua vez é revestido pelo Perispírito e que por sua vez é revestido pelo Espírito ou Alma. Pode ser também na ordem inversa, ou seja, no fundo de tudo, o miolo central é o Espírito ou Alma, seguindo-se o Perispírito, logo a seguir o “duplo etérico” e finalmente o Corpo Físico. Apenas como um simples exemplo, diríamos que, o conjunto psicossomático se parece com uma grande cebola, sendo a camada externa, mais grosseira seria o corpo físico, a próxima camada, o duplo etérico, a próxima, o Perispírito e a do centro seria o Espírito ou Alma. Todas elas, podem ser atingidas “randomicamente” à maneira dos computadores, ou seja, aleatoriamente, assim como elas podem atingir da mesma forma o Universo ao seu redor.

O Perispírito só passa a existir literalmente após a morte física, quando então ele poderá ser visto, poderá se manifestar, e até se materializar utilizando os fluídos ectoplasmáticos gerados por um médium de efeitos físicos, contudo, mesmo dentro de um físico vivo ele poderá se projetar a qualquer distância, desde que o Espírito tenha poder mental, conhecimento e desprendimento suficiente para soltar seu corpo físico permanecendo ligado a ele pelo “cordão magnético prateado” o qual, juntamente com o duplo etérico se rompe e se desfaz com a morte do corpo humano. O Perispírito, a nosso ver, é matéria rarefeita na sua quintessência ao mesmo tempo em que é energia invisível aos olhos humanos. Ele é formado conjuntamente com o corpo humano, desde o útero materno, pulsando para dentro desse corpo, todas as suas falhas e defeitos, bem como resquícios ou marcas traumáticas de suas vidas passadas e todas as suas qualidades, independentemente dos fatores genéticos que, se existirem, serão acrescidos a sua índole e conteúdo cármico. Portanto ele é composto de energias cósmicas espirituais extraídas do seu último corpo na Terra, antes disso, antes de sua primeira encarnação, ele era apenas o Espírito ou Alma, ou ainda a Centelha gerada no Núcleo Central Cósmico, baixou suas vibrações iniciais, rústicas e procurou seu primeiro “habitat” físico, só após seu primeiro desencarne é que passou a ter a forma biotípica humana com todas as características pessoais e particulares, as quais, são exclusivas daquele conjunto psicossomático, não haverá similares exatamente iguais em vibração e conteúdo. A vida dele se extinguirá no momento que não houver mais necessidade dele reencarnar-se. Então, o seu Espírito o desintegrará para se transformar na Chama Divina, a nova Centelha que poderá galgar outros patamares espirituais mais elevados, mas esse processo de desintegração poderá levar milhares de anos, enquanto perdurar o tempo de evolução daquele ser, portanto, se faz necessário que o Espírito (alma ou chama), nasça e renasça no campo físico, tome as formas humanas e se estiver carregado de pesadas toxinas e as formas humanas ainda não o assimilarem, tome as formas que mais se lhe aproximarem, que poderão ser as formas de animais, de aves e da fauna em geral, para que aos poucos, consiga formar sobre si as células e moléculas do biótipo humano e um novo Perispírito e assim, mais chegado à matéria densa, ter noção e os predicados necessários para poder movimentá-la na área que melhor estiver ao seu alcance, portanto, não é de se estranhar, quando alguns animais se mostram tão inteligentes e agem como se fossem pessoas, com certeza alguns deles, raros, podem ter perdido a forma humana no Astral, se transformado num tipo de massa disforme e que só tinham essa opção de voltar à vida e escaparem daquela situação terrível.

O Perispírito humano, só toma a forma biotípica humana após ter passado pelas muitas fases reencarnatórias e, consequentemente, ter agregado sobre si mesmo várias formas e biótipos, ou seja, ele comporá seus novos organismos pouco a pouco, vindo a ter formas grosseiras, defeituosas, aleijadas, fases de retardamento mental e loucura, monstruosas, bisonhas, ridículas, animalescas e com instintos animais e outras mazelas, até que completamente desintoxicado daqueles fluídos deletérios, de culpas e irresponsabilidades, possa voltar a ter um físico humano adequado ao seu nível de conhecimento e ao mesmo tempo ter conseguido acumular em sua memória energética astral, todas as experiências vividas, nos mínimos detalhes. Terá, posteriormente, acesso a um arquivo imenso de registros de tempo e de espaço, aos quais, poderá retornar e recorrer em segundos, se recordando e se reformatizando naquilo que melhor lhe aprouver, voltar à reencarnação que for necessária mostrar aos viventes, como exemplo e aprendizado, além do que, o médium de efeitos físicos, que poderá ter sido seu companheiro de infortúnios no passado, ou ter sido sua vítima ou algoz, o auxiliará, buscando e o auxiliando nas informações que estiverem contidas em sua memória espiritual, nas “viagens” através do tempo e das formas, podendo ambos vislumbrarem, consciente e inconscientemente, passagens que ficaram marcadas e indeléveis em seus psiquismos e que agora, para efeito de carma e de prova terem que se utilizar delas e mostrá-las em público, mesmo que para isso tenham que passar por humilhações e vexações, se tornarem, como se diz no jargão popular, “alma penada” em busca da salvação porém, em todos esses casos há o auxílio de “Mentores Atemporais”, que têm a faculdade de interpenetrar aquilo que se convencionou chamar “Espaço e Tempo”. Não haverá limites para essas ações pois, o Espírito que “habita” o Perispírito desencarnado ou Perispírito reencarnado, irá até os primórdios de sua primeira encarnação, ou seja, até quando iniciou suas jornadas na Terra, não importando quantas vezes tenham eles passado pela morte e pela vida. Poderão retornar aos seus orbes de origem, caso tenham eles vindo de outros planetas, nestes casos, esses Perispíritos de alienígenas, trarão dentro de si todo conhecimento obtido em seu planeta, podendo colocar à baila, durante suas reencarnações terrestres, todas as ideias e invenções novas e darão novos impulsos à vida social e técnica para a humanidade da Terra, contudo, poderão cometer erros e desatinos o que lhes atrasará o percurso de retorno ao seu planeta, será alguém sempre mais à frente de seu tempo, em todas as áreas em que atuar.

Deve-se a esses Perispíritos de fora, muitas invenções e descobertas, tais como: as invenções das armas, a criação das artes e da música, as ideias ficcionistas, as buscas das energias positivas ou negativas através da mentalização. O predomínio pela força é quase sempre um fator burilado por mentes alienígenas, que inconformadas com suas novas situações de exílio planetário, tentam de todas as maneiras subjugar os “povos nativos” dos planetas para os quais foram exilados, entretanto, o Bem é o maior predicado daqueles seres que só enveredam para o Mal, quando são contrariados em seu percurso ou são atingidos, moral ou fisicamente. A índole, dos Perispíritos vindos de planetas superiores é sempre bondosa, positiva e construtiva.

O Perispírito ou Corpo Astral, é o veículo condutor, responsável por todos os bens e por todos os males dos seres vivos, sejam eles humanos ou não, isto porque sobre ele recaem todas as mazelas ou benesses, absorvidas durante a sua vida na carne ou durante sua passagem pelas energias do Astral. Explicando melhor; quando reencarnado, o Perispírito registra todas as desarmonias, desequilíbrios, todos os tipos de doenças, todos os atritos e detritos, lesões, perturbações do conjunto psicossomático, produzidas por ele próprio ou por outrem, ou geradas contra seu Ego, com consequências desastrosas para a sua próxima reencarnação, levando para o Astral todas as cargas tóxicas adquiridas, quando então terá que passar por algum tempo, às vezes bem demorado, a fim de tentar se recompor, mas quase sempre, não é possível se desfazer de algumas toxinas que ficaram arraigadas na sua Consciência, o que fará com que ele, quando do seu retorno ao físico traga tudo de volta, agora com mais gravidade, pois se acumularam em seus registros cármicos, ou em seu destino, em forma de graves doenças físicas e distúrbios psíquicos e psicológicos, e que só assim conseguirão ser drenadas, às vezes sob dores físicas atrozes e pesados desequilíbrios emocionais que poderão perdurar por outras reencarnações subsequentes. Há, entretanto, Perispíritos que mesmo podendo reencarnar-se, preferem continuar no Astral “curtindo” os resultados de suas produções, quando estiveram no físico, entre eles os grandes músicos e grandes artistas da pintura e da escultura, que continuam no Astral os seus trabalhos, como compositores e executantes ou como professores, na preparação de novos artistas que renascerão para dar continuidade ao que eles interromperam.

Tudo aquilo que nos causa espanto e que achamos ser uma aberração humana, nos causando pena frente aos sofrimentos desumanos de alguns milhares de seres vivos, aparentemente abandonados pelo Criador, rastejando pelas sarjetas, pontes e viadutos, morando em locais insalubres; como surdos, mudos, cegos, paralíticos, paraplégicos, tetraplégicos, esquizofrênicos, dementes, psicóticos, portadores de paralisia cerebral, incapacitados por atrofias generalizadas, impotentes e frígidos, bem como histéricos e insaciáveis sexualmente, sofredores das piores doenças tais como: o câncer, a lepra, a AIDS, a tuberculose, os portadores de disfunções renais, das disfunções pancreáticas, intestinais, aqueles que vêm decididos diuturnamente a cometerem suicídio, os acometidos dos variadíssimos tipos de síndromes, sofredores das piores doenças e que levam ao sofrimento também os familiares e amigos além da sociedade onde vivem; todos sem exceção, têm como causa, o Perispírito, que passa a ser uma cópia “ipsis literis” do corpo humano, ou o seu “filme negativo”, o qual só será “revelado” em sua próxima reencarnação. E muitos desses infelizes, que nos chocam, já se encontram “naquela próxima reencarnação” mencionada antes, porém que anteriormente, tiveram suas chances de redenção e de aplicarem seu conhecimento para o Bem comum e deles próprios e não o fizeram, por qualquer motivo. “O que aqui se faz aqui se paga”, essa é uma máxima precisa e matemática, que o homem só vai dar valor após ter passado por aquelas vicissitudes humanas, por exemplo: aquele grande político, grande orador, mentiroso, que usou sua voz, seu carisma, sua fleuma, para enganar as populações e a seus eleitores, não será punido no ato de suas palavras. A Lei, o deixará falar e enganar a vontade! Vai parecer a ele e aos que estão sendo enganados, que o Criador está permitindo tudo, está corroborando com aquelas atitudes indignas. O Criador não se importará com nada! Também não se importará quando aquele político voltar à vida, com um câncer na garganta, um tumor no cérebro ou na boca, cego, surdo e mudo, mal dizendo o dia em que nasceu!

O homossexualismo, o lesbianismo, têm suas causas profundas no Perispírito, o qual tinha uma sexualidade diferente daquela que teve que assumir agora, por carma ou por missão, contudo, conservou sobre o seu psiquismo todas as vontades e ímpetos e trejeitos da sua função sexual anterior e, ainda por carma, seus pais atuais desincentivaram sua atual sexualidade quando ele ainda estava no período inicial da formação de suas funções sexuais, que não puderam ser firmadas na sua plenitude, causando-lhe sérias distorções e consequentes disfunções, tornando-o híbrido e com tendências a gostar de pessoas do mesmo sexo, ou seja, o sexo que ele tinha anteriormente. Trocando em miúdos: se o Perispírito assumia anteriormente, na reencarnação anterior, um sexo feminino, e que por qualquer motivo, cármico ou não, teve que assumir um sexo masculino e não teve tempo suficiente e nem foi ajudado para se ajustar a essa nova sexualidade, quando de dentro do útero de sua mãe ouvia seus pais afirmarem e confirmarem que aquele novo filho seria mulher, seria mulher! ele como que desapontado, pois estava sendo formado para ser homem, não conseguiu se libertar da sua sexualidade anterior, quando era mulher; desta forma, ele vem com as suas genitálias masculinas, mas interiormente, em seu psiquismo conserva as vontades e induções femininas e age como tal; torna-se uma aberração familiar e uma aberração social, e como essas anomalias vêm crescendo assustadoramente, dia a dia, não há outra solução social a não ser aquela da formação de grupos afins. Assim, ocorre igualmente em número e grau para as distorções do lesbianismo. Todos esses quadros de disfunções sexuais e hormonais, cujos portadores sofrem por não poderem confessar seus distúrbios, abertamente, passam a ser vítimas de exclusão pela sociedade, que só os aceita quase que sem restrições, quando os mesmos são ricos e pertencem às chamadas classes altas, dessa mesma sociedade.

A cura e a solução para essas distorções, podem ser realizadas a nosso ver, pelo emprego da regressão de memória dos portadores, por meios hipnóticos magnéticos ou químicos, fazendo com que o Perispírito, volte ao útero materno e antes dele quando se preparava para reencarnar e o induza a assumir a sexualidade e o sexo com os quais, veio constituído agora. Temos certeza quase que absoluta que os resultados serão positivos, tanto para os portadores como para a família e a sociedade. O mesmo tipo de tratamento poderá ser empregado para a cura de outros distúrbios psicóticos e mentais, bem como, os de fobias várias e inexplicáveis, também os distúrbios endócrinos e de obesidade mórbida e do oposto que é a anorexia. Todos os vícios e doenças de origem psíquica, tais como: o álcool, o fumo, as drogas, e comportamentos de aberrações sexuais viciosas, podem ser tratados através da hipnose regressiva, com resultados jamais previstos pela Medicina. O Perispírito juntamente com o duplo etérico, podem ser afastados momentaneamente do físico do paciente, sobre ele serão ministradas ondas magnéticas restauradoras e sobre o corpo em letargia deverão ser ministrados passes magnéticos através de um médium poderoso, fazendo com que o recipiente que é o corpo e a energia vibradora que é o Perispírito se encaixem gradativamente entre si, e ambos, passem a dominar e a controlar positivamente o que anteriormente era um distúrbio. Paralelamente, deverão ser feitos trabalhos de conscientização e de aplicação do conceito do perdão, distribuição, aceitação e aplicação, através da força vibratória da palavra, que agirá como elemento de ligação, de paz interior, de benevolência e tolerância do conjunto psicossomático que está sendo trabalhado com o mundo exterior. Devo lembrar que, o Perispírito por dom e iniciativa própria ou por atração cármica, se locomove durante o sono físico, e é atraído por suas atuais atividades na sociedade ou por seus antigos amigos ou comparsas ou ainda, por seus algozes ou vítimas, aos locais onde possa proporcionar tratamentos ou extensões de seu trabalho a outros membros da comunidade, e se continua negativo e maldoso dá vazão a seus instintos participando de crimes ou conspirações de toda espécie. O Criador e as Entidades Elevadas a tudo assistem, aparentemente impassíveis, pois sabem que nada poderão fazer em vista do cumprimento da Lei do Livre-Arbítrio e a Lei de Causas e Efeitos, que impedem que se façam interferências externas onde não haja o reconhecimento do perdão dos outros e o perdão de si próprio, caso contrário, seriam causados danos ainda maiores a todos os coparticipantes da avalanche de arbitrariedades. Por essas e outras razões, sendo o Perispírito um corpo energético, matéria rarefeita, mas, invisível aos olhos comuns, é também o corpo semimaterial que está constantemente ligado e em contato com o Universo da terceira dimensão, e as correspondentes emulsões físicas e ectoplasmáticas que o rodeiam. Como já frisamos anteriormente, o corpo físico é quem dá as formas biotípicas ao Perispírito e é este quem dá as futuras formas biotípicas ao corpo físico, num moto-contínuo sem fim através dos Séculos, do Tempo e do Espaço. Assim sendo, um não teria forma sem o outro. Ambos, em separado, possuem cada um seu DNA físico e energético, respectivamente. E o duplo etérico, que é um corpo semimaterial, pode ser deslocado com o poder da mente ou sob hipnose regressiva, serve ao Perispírito como se fosse uma espécie de acolchoado ou amortecedor entre ele e o corpo físico. É ele o agente da dor física. Afastando-se o duplo etérico, o corpo físico entra em letargia, letargia essa, que é negativamente conseguida com a ingestão do álcool em demasia, drogas hipnóticas e sedativas, mas toxicantes, que degeneram o sistema nervoso central, e que consequentemente, não há a propagação da dor pelos filamentos nervosos do corpo humano, para o seu cérebro e para o Perispírito, os quais, Perispírito e duplo etérico, podem se distanciar do corpo físico que fica totalmente inconsciente ou semiconsciente, irrigado pelos fluídos vitais, energética e magneticamente através do assim chamado “cordão prateado” que fica ligado à nuca (cerebelo) do físico e do Perispírito. Assim são feitos os “desdobramentos” durante o sono, que são, muitas vezes, confundidos com os sonhos e as “viagens astrais” que podem ser realizadas com o corpo em vigília, ou seja, com o corpo desperto. Estas últimas situações só são conseguidas por Espíritos com grande poder de concentração ou por Espíritos oriundos de planetas mais evoluídos e que estejam acostumados a esses desprendimentos e a essas viagens longas e fora do planeta em que estejam vivendo. Como já explicamos e aqui ressaltamos, o duplo etérico, “morre”, por assim dizer, juntamente com a morte do corpo físico. Ele desaparece totalmente à beira do túmulo, aí então se desintegra o corpo físico deixando livre o Perispírito, que seguirá para os páramos de suas afinidades más ou boas, baixas ou altas, de conformidade com seu conteúdo vibratório íntimo, que poderá ser negativo ou positivo. É esse conteúdo que dará as novas formas astrais ao Perispírito, as quais, poderão ser melhoradas, iluminadas, ou pioradas sem luminescência, dependendo de onde o Perispírito for se situar e após, na maior parte das vezes, ele tiver que estagiar para a devida desintoxicação energética e as reciclagens mentais e espirituais às quais se submeterá, para cura e harmonização do seu “quantum” vibratório, com a extirpação de alguns males levados da carne, a recuperação de sua consciência e só após, entrará em estágio preparatório para um “enfrentamento” de um possível novo reencarne. Dizemos enfrentamento, pois a Entidade que vai reencarnar, após ter quase se sublimado, terá que “morrer” no Astral, deixar os amigos e os locais paradisíacos e de paz, de reencontros conscientes, de onde ela não gostaria mais de sair e de passar por dolorosas despedidas, mais dolorosas de que quando estava viva anteriormente, para retornar ao mundo pesado e inconsciente das formas físicas, para o qual, talvez não quisesse mais retornar, pois agora vai “descer” no “escuro” sem saber exatamente o que a espera e sem saber se conseguirá atingir seus objetivos, já que o seu destino ou seu carma lhe serão colocados a sua frente, em confronto com suas vítimas e com seus algozes. Terá que implantar e buscar o perdão de todos, espontaneamente, contudo, seguir imbuída de boa vontade, de coragem e resignação, mas ao defrontar-se com qualquer um deles, ou é exterminada abruptamente ou comete os mesmos ou maiores erros, tendo que recomeçar do início novamente, com o olhar e a ajuda paciente de seus Mentores Espirituais. Esse processo poderá levar centenas de anos, sem contar que ela terá que aguardar a formação do clã que a receberá novamente, que poderá ser constituído por familiares que foram suas vítimas ou seus algozes e assim, dependerá muito de seu livre-arbítrio e de seu poder de perdoar, para poder elevar-se de padrão vibratório espiritual.

Diríamos, que nesta altura dos acontecimentos, o Perispírito endividado, aceitará tudo o que tiver que passar. Se sujeitar as traições que contra ele serão feitas. Quando voltar à vida, viverá em corpos físicos de outras raças que não aquela que ele tinha em sua última reencarnação, com falhas genéticas, deformações, com possíveis mortes abruptas de seu futuro corpo, mãe e pai que não o desejavam, não só isso, o odiavam e, por conseguinte, poderão extirpá-lo através de abortos criminosos, mais de uma vez, ter que aceitar como irmãs e irmãos seus antigos comparsas, vítimas ou algozes, ter que renascer numa comunidade, num vilarejo, num bairro, numa cidade, num estado e num país, que tenha levado as derrocadas imensas e tenha sido o inimigo público número um, e assim, em todos os outros setores da vida, razão pela qual, a existência de milhares de abortos pelo mundo e esses Perispíritos ou indivíduos são visceralmente rejeitados pela família, pela sociedade e ele, dominado pelo seu instinto negativo e não tolerando tudo isso, passa a agir vingativamente, entra em total decadência física e moral, se entrega ao vício do álcool e a outros, indo parar debaixo de pontes e viadutos, institutos correcionais, prisões e manicômios, hospitais de doenças incuráveis; morrem assassinados ou por acidentes, após, em muitos casos, terem voltado a cometer os mais hediondos crimes, outras vezes, suicidam-se, retornando ao Astral, agora nas regiões específicas dos suicidas, em condições bem piores do que estava, antes de reencarnar, tendo que enfrentar sofrimentos espirituais, atrozes, dos quais não se livrará tão facilmente e por uns bons lastros de tempo, em suas condições lastimáveis com marcas e resquícios, que serão levados, para seu futuro novo corpo físico, mesmo que isso venha a acontecer depois de centenas de anos de expurgação no Astral. Sim, porque será ele próprio e ninguém mais, quem pulsará para dentro do útero de sua próxima mãe, todo o seu conteúdo cármico espiritual, será ele quem traçará as linhas sobre as palmas das mãos de seu futuro feto, e elas, serão o mapa de seu destino, que só poderá ser entendido por aqueles que tiveram o dom e os conhecimentos para poder lê-las, contudo, poderão sofrer mutações de conformidade com suas ações no mundo da terceira dimensão e a conduta pessoal de seu livre-arbítrio. Desta forma, “o assim estava escrito”, ou “maktub”, dos árabes, prevalecerá e terá fundamento matemático, e seu novo corpo físico virá adrede preparado para o cumprimento de uma espécie de determinismo “quântico”, o qual só ele pessoalmente poderá alterar para melhor ou para pior, ou seja, apesar de já ter o seu destino traçado, poderá amenizá-lo e melhorá-lo com ações apropriadas, portanto, pode-se dizer, que não haverá interferência de qualquer Poder Maior, para livrar o Perispírito dos males que tenha causado sobre si mesmo ou sobre os outros, também não haverá interferência sobre os benefícios a que ele terá merecido, mas poderá obter ajuda em casos especialíssimos onde vigorar a fé e o perdão ou quando a solicitação implicar pessoas ou contingentes, que não tenham relação direta com a sua culpabilidade e que não mereçam estar envolvidos, com aquilo que seria de responsabilidade só dele, e por um descuido do acaso, ele tenha ido parar entre eles. Sua passagem pela nova vida poderá ter momentos de amenização, porém caberá a ele, Perispírito, promover a solução de seus problemas de antagonismo e de convivência, para poder se emancipar das amarras do seu destino, só aí então, ele poderá almejar seguir para patamares mais evoluídos, psicosferas mais superiores e poder trabalhar sua espiritualização e transformação em Espírito ou Alma, desintegrando suas formas biotípicas humanas e voltar a ser uma grande Chama ou Centelha Racional, rumo à Divindade, jamais perdendo sua personalidade e seu conteúdo específico. Daí, sempre para Frente e para o Alto, o Espírito não mais encontrará barreiras grosseiras, entretanto, poderá se servir da mediunidade dos encarnados, para poder se transformar e plasmar qualquer uma de suas formas físicas ou psicofísicas anteriores, a fim de se identificar para quem seja necessária uma demonstração da existência da Entidade Espiritual e precise receber a sua palavra de apoio e de ensinamento. O Perispírito é o agente responsável pela manifestação da vida e da morte, naturais do corpo físico, valendo dizer que, se não houvesse outros problemas externos, tais como doenças e mortes por causas abruptas, ele se incumbiria de deixar o físico no momento exato da velhice extrema, como já foram comprovados em muitos casos de morte por senilidade. Já o Espírito ou Alma, não possui as propriedades para se manifestar no corpo físico, necessita estar revestido das energias perispirituais e ectoplasmáticas para poder fazê-lo, não possuindo forma biotípica humana, terá que confeccioná-las sobre si mesmo. Mas não conseguirá ofuscar a sua luminosidade natural, produto de seu conteúdo vibratório, e quando se manifestar, todos que presenciarem, seja com os olhos físicos ou olhos espirituais, detectarão a sua radiação peculiar.

Aqui registramos uma particularidade; foi-nos dado presenciar e acompanhar a tentativa de reencarne na matéria, de Entidades evoluídas e de seres de outros planetas mais adiantados, que vinham para um auxílio à humanidade terrestre, ficavam por vezes, baixando sua vibração e cobrindo-se de energias grosseiras por um período de mais de três anos e quando encontravam sua futura mamãe, não conseguiam fazer vingar o feto, o qual, por assim dizer, era morto antes de nascer, vinha natimorto e isto era imensamente constrangedor tanto para a mamãe que perdia seu esperado filho e muito mais para a Entidade ou ser, que tinha se depurar por mais de três anos também, a fim de poder retornar ao seu patamar ou planeta de origem. Conforme a descrição deles próprios, para este sensitivo, os sofrimentos eram tão grandes que afastavam qualquer hipótese de uma nova tentativa por muitos anos! As Entidades Celestiais, denominadas de Engenheiros Reencarnacionistas, como o título já diz, especialistas em reencarnação planetária e que se situam nas Altas Regiões Cósmicas, auxiliadas por outras tantas igualmente especializadas, mas, situadas nas Regiões Astralinas, submetem o Perispírito a uma hipnose poderosíssima, ao sono energético profundo, quando então o corpo Perispiritual é levado ao ambiente da sua futura mãe; é reduzido e passa a ser atraído para dentro do ovário materno e ali é ligado ao óvulo fecundado. Nos três primeiros meses, passa a vibrar sobre ele e plasmá-lo com as suas propriedades intrínsecas e futuras formas, só após vai se transformando em embrião e feto e só depois ainda passa a gerar sua futura sexualidade, a qual, como já dissemos anteriormente; seu êxito vai depender muito do seu psiquismo interior e da ajuda mental e com palavras alentadoras, dos seus futuros pais e demais familiares, durante a gestação e primeiros anos de vida. Sua mente entra no chamado “Bendito Esquecimento”, quando então seus arquivos do passado são momentaneamente apagados, lançados por assim dizer, num “arquivo morto” ou numa “lixeira”, adotando-se os termos atuais de processamento de dados, sem, contudo, desaparecerem, ao contrário, podem ser buscados de forma “sequencial” ou “randômica”, ou seja, por ordem de registros ou aleatoriamente, através da hipnose ou por algum fato traumático que possa vir a sofrer. Sua mente retorna ao estado embrionário, e ele “esquecerá” o que fez, quem foram seus amigos e inimigos, os locais onde viveu, mesmo que possa ter uma pálida lembrança ou certo saudosismo, quando ver alguém, ou algum lugar por onde passar, ou sinta forte ojeriza quando se defrontar com algum “mui amigo” ou inimigos de outrora. Terá que recomeçar, como já dissemos, da “estaca zero”, sem saber com quem estará lidando e poderá pôr em prática espontaneamente, seus dons intuitivos e seus conhecimentos embutidos em si próprio, contudo, poderá por tudo a perder, se for fraco e não tiver a obstinação necessária para vencer os obstáculos, que não serão poucos! Após seu novo desencarne, tudo será comparado, pesado e reescalonado para as novas chances na vida.

A alegação daqueles que sofrem muito e por aqueles que assistem ao seu sofrimento, sem o devido conhecimento dessas nuances; de que Deus é injusto e que muitos sofrem sem merecer, jamais procederá, pois nada acontece com o ser humano por acaso ou por coincidências, tudo é fruto de um Planejamento Superior, e o Perispírito é o principal responsável pelos seus atos na vida e depois dela. Vejam-se os casos de grandes acidentes, dos quais se salvam apenas alguns ou apenas uma simples criancinha! ou ainda um idoso bem avançado em seus dias, que parecia que não iria ter mais utilidade para nada! Pode até ser que ele não seria mais tão útil, porém, não era para ele desencarnar junto àqueles outros que pereceram no acidente, ou numa grande explosão criminosa, no entanto há aqueles que morrem por uma “bala perdida” sem saber o porquê!, mas a bala não era perdida, ela fazia parte do determinismo daquela pessoa, mesmo que isso possa ser difícil de ser entendido pela maioria das pessoas. O que deu o tiro, irresponsavelmente, criou para ele outra bala perdida, que o atingirá na mesma vida ou na próxima, quando ele mesmo, menos esperar e nem saber o porquê, também terá seu destino interrompido quando estiver imbuído na construção de sua vida próspera e sem maldade!; e todos não concordarão com aquilo, se sentirão penalizados e impotentes para resolver tal situação! Seria Deus, um poder vingativo? Seria então a Lei do Talião, ou do “Olho por olho, dente por dente” que é aplicada de forma indireta? Seria então um determinismo pessimista? Pode até parecer, mas não é! É sim, a Lei de Ação e Reação, Lei de Causa e Efeito, que foi gerada muitos milhares de anos antes, no Espaço Cósmico e Sideral, que vigora e vigorará pela eternidade afora. Aqueles seres humanos, fracos mental e espiritualmente, tendenciosos e negativistas, que se deixam levar pelas dificuldades e entram em violenta depressão e buscam no suicídio a fuga de suas responsabilidades assumidas, estes sim, interrompem por conta própria o curso de seu destino, e devido a isso serão atraídos para regiões astralinas específicas, de onde demorarão a sair, além de enfrentarem terríveis sofrimentos de consciência, piorando ainda mais suas situações cármicas.

Via de regra, todas as doenças físicas, principalmente as de origem psíquica, se originam no Perispírito, é nele que ficam gravadas todas as anomalias, produzidas por ele, em seu corpo físico anterior e que são transferidas por ele também, ao seu novo corpo em sua futura reencarnação, além das heranças genéticas colhidas por efeito cármico, da árvore genealógica de seus ancestrais ou de seu antigo clã, que também por efeito cármico ele também tivera que habitar, ou fora atraído magneticamente, por afinidades ou por laços de sentimento, a fim de expurgar as toxinas e as culpabilidades produzidas em seu próprio conteúdo vibratório e áurico. Sendo assim, toda iniciativa de cura, seja por medicamento ou por cirurgia espiritual, tem que ser voltada e ativada sobre o Perispírito, primeiramente, sobre os chákras que se situam no corpo perispiritual e após sobre os plexos que se situam no corpo físico, nas mesmas posições dos chákras, ou finalmente, a regressão de memória, que por vezes será a única solução. Conforme catalogação feita por este sensitivo; estas são as doze posições dos plexos e chákras: 1º) Coronário: situado no Alto da Cabeça; 2º) Frontal: situado sobre a testa, sobre glândula hipófise; 3º) Laríngeo: situado sobre a garganta; 4º) Cardíaco: situado sobre o coração; 5º) Solar: situado sobre o umbigo e o baixo ventre; 6º) Esplênico: situado sobre o baço e o pâncreas; 7º) Básico ou Kundalini: situado sobre a base da coluna vertebral ou dorsal, responsável pelo equilíbrio da sexualidade humana; 8º) Umeral: situado nas costas, sobre o pulmão esquerdo; 9º) Pálmeo: situado sobre as palmas das mãos; 10º) Digital: situado sobre as pontas dos dedos das mãos; 11º) Solado: situado sobre a sola ou planta dos pés; 12º) Pédigital: situado sobre as pontas dos dedos dos pés. Consequentemente, há também os vinte e quatro meridianos correspondentes aos plexos e chákras, além dos demais meridianos catalogados pela Medicina chinesa de acupuntura e do “do-in”. Todos eles, quando bem empregados, atingem o Perispírito e o Físico simultaneamente.

O Perispírito possui todos os sentidos do corpo humano, bem mais apurados que este e tem a seu favor a “Lei Quântica”, que lhe permite estar em toda parte, atravessar paredes e quaisquer obstáculos, pode frequentar qualquer ambiente e se usufruir os seis sentidos do corpo humano e até dos eflúvios sexuais, fazer bom ou mau uso deles, consequentemente, de todos os vícios e vicissitudes, defeitos e virtudes, canalizando-os para si ou vampirizando, passando a “viver” concomitantemente junto a um corpo vivo, o qual seria seu “caneco vivo” de onde ele extrairia todas as sensações físicas e nervosas, como por exemplo: se ele desencarnou por bebida e ainda se encontra sob seus efeitos, ou efeitos das drogas, ou ainda sobre os efeitos das sensações sexuais (veja-se os casos das Entidades denominadas de Exus e Pombagiras, da Umbanda), continuam a se aproveitar desses médiuns em potenciais, sugando-lhes gradativamente, todos os fluídos vitais. Assim é feito nos processos de magias brancas ou negras, quando os vivos passam a ser uma extensão desses Perispíritos Negativos. Quanto mais viciado ele tenha sido, quanto mais maldade ele tenha feito, mais toxinas ele agregará sobre si e sobre aqueles que tiverem sintonia com ele, assim sendo, um moto-contínuo sem fim, se firmará entre eles, aumentando os desejos de vingança, rebeldia; menores serão os desejos de perdoar, de se autoperdoar e de ser perdoado. Nestes casos, o Perispírito dá início a sua degradação e desintegração das formas biotípicas humanas, para ir se transformando em monstruosidade, e em aberrações animalescas, e até em se transformar em protozoários que ficarão incrustados energeticamente sobre as partes sexuais femininas e masculinas, sendo transportados de um lado para o outro, através dos contatos físicos e energéticos, provocando as piores doenças genitais, além das infecções generalizadas e os desequilíbrios hormonais e psíquicos, levando os pacientes aos hospitais e aos divãs dos especialistas de distúrbios mentais e sexuais. Fomos buscar, em viagens astrais, nos Umbrais da Terra, indivíduos desprovidos das formas físicas, que haviam se transformado numa espécie de massa disforme e mal cheirosa, nos quais, só víamos aqueles olhos esbugalhados de dor e de terror, pedindo ajuda há centenas de anos, e tendo posteriormente, que renascerem de forma animalesca e acometidos das piores e mais graves doenças, que a Medicina dos homens se sente impotente para curá-las. Nestes casos, só o tempo e as Entidades Superiores, terão toda a paciência do mundo em assistir as dezenas e centenas de reencarnes e desencarnes, dolorosos, que aquele infeliz terá que passar.   

Vamos entrar aqui, numa explicação que com certeza, abalará as mentes e Espíritos dos conservadores religiosos, principalmente dos filiados ao mentalismo e ao espiritismo: partindo do princípio de que o Perispírito é uma cópia semimaterial do corpo físico e, por conseguinte, sente e participa de todos os prazeres e vicissitudes do corpo humano, inclusive no Astral, contrai matrimônio, faz sexo normalmente, tem sentimento afetivo por seu ente querido, poderá também gerar filhos perispirituais, na mesma proporcionalidade energética que no corpo físico, e não poderia ser diferente, pois no Universo tudo é proporcional entre si, e se existe o homem e se existe a mulher, na forma perispiritual que ainda é matéria, dependendo apenas da vontade e do poder mental de cada um. Isso ocorre entre seres extraterrestres energéticos, por que não poderá ocorrer com os seres perispirituais da Terra? O contrário, é que seria imparcial! Temos participado de incursões ao Astral, aos Umbrais, as Regiões Abissais e testemunhamos as mais incrédulas situações e aberrações, sofridas e cometidas por Entidades afeitas àquelas regiões tenebrosas, indescritíveis para o ser humano comum. Locais de sofrimento, degradação, de deformação tanto do caráter como das formas humanóides do Perispírito, que quando chega a ponto de despencar para elas, é porque produziu ou foi alvo de grandes atrocidades e atraiu sobre si quantidades gigantescas de fluídos deletérios e toxinas poderosíssimas, que lhe causarão milênios de sofrimento e de depuração até que volte a se situar em patamares mais elevados para poderem ser buscados e trazidos para tratamentos no Astral, atendendo às preces e pedidos de parentes e amigos e, é claro, por ter atingido um nível razoável de merecimento, caso contrário, lá ele permanecerá quase que “ad eternum”! Na verdade, para que se possam fazer essas incursões, o nosso Perispírito bem como, o Perispírito dos socorristas que nos auxiliam, quase que se transformam em “escafandros energéticos” e formam uma espécie de lastro, para poderem descer e serem conduzidos àqueles locais aterradores. Faz-se necessária também, uma grande dose de coragem e de desprendimento e objetivos salutares de ajuda aos menos afortunados, espiritualmente, caso contrário, não conseguirá chegar nem até a metade do caminho, tal a força dos gases asfixiantes e a atração das forças do nosso físico vivo, que permaneceu na crosta, no sofá de nossa casa, em estado letárgico, mas consciente, que em seus reflexos naturais de defesa de nossa vida, tenta sofridamente nos atrair de volta a ele. Razão pela qual essas viagens astrais são efetuadas por pouquíssimos seres viventes, devido as grandes dificuldades físicas, mentais e espirituais. Diríamos que essas pessoas além do necessário dom, são como os virtuoses de violino, que têm que se esmerar nos mínimos detalhes, tanto de arco como de notas agudíssimas, muitas vezes, imperceptíveis aos ouvidos comuns e mesmo aos ouvidos acostumados a outros instrumentos, ou seja, há a necessidade de uma sintonia muito fina e ao mesmo tempo o conhecimento aprofundado das energias espirituais.

Para encerrarmos, acrescentaríamos, que ao Perispírito cabe a função do desbravamento e a interligação entre os mundos físicos e energéticos, entre os mundos visíveis e invisíveis, entre os universos tridimensionais e os universos paralelos, entre as esferas geofísicas e as psicosferas, e depois de terminadas essas suas missões, se transformará novamente em Chama ou Centelha Divina, de volta ao Criador, ao Núcleo Central Cósmico Radiativo, e engrossará o feixe finíssimo de Centelhas que se juntarão no Cosmos, para reforçar na geração de novas Centelhas que se espargirão, seguindo para os bilhões, os trilhões de mundos no Universo, buscando seus novos corpos perispirituais e depois seus novos corpos físicos, plasmando a matéria que melhor lhes convier e de conformidade com os novos “habitats” para os quais forem atraídos e deles, recomeçarem todo aquele trajeto Cósmico Sideral, que descrevemos anteriormente, num motocontínuo sem fim, uma espécie de moto-perpétuo universal!

Desta forma, concluímos que será mais fácil de entender a grande máxima “De onde viemos, o que somos e para onde vamos!” e assim se fecha o grande círculo: Criador, igual Criatura, igual Criador!, ou ainda a frase mágica: “Vós sois deuses e poderão fazer ainda mais do eu fiz!”. Aquele Avatar, muito mais antigo e experiente de que muitos de nós juntos; tentou e conseguiu, transmitir um pouco do Seu Alto Conhecimento, que Ele adquirira em seus milhares de passagens de vidas planetárias e por vários patamares Cósmicos Siderais e provou que a Sabedoria e o Conhecimento da Verdade libertaria o ser humano, e seriam os únicos Bens Imutáveis que o ser poderá levar consigo para além da morte e para onde ele for, e deixará sempre por onde passar!

Até a próxima vez, amigo!

Relatório Astral Védico, Horóscopo Védico em Português, Horóscopo Jaimini, Horóscopo Nadi

Construção e Hospedagem de Website

Quiromancia Védica com Chris Breault: Leitura Personalizada da Mão, Dedos, Montes e Linhas e Mais!

Análise de Mão, Análise de Profissão, Análise de Compatibilidade, Pergunte Qualquer Coisa

Estudos Extraterrestres @ ILUMINA.PUB

Seguir Domingos Yezzi:

Violinista Aposentado e Autor Contatado

Nascido em 1935, autor contatado por extraterrestres, cursado em Ciências contábeis, Economia, Análise de Sistema e Música. Serviu como Diretor Técnico da Orquestra Sinfônica de Ribeirão Preto, São Paulo, por 10 anos, onde pertenceu como “naipe” dos primeiros violinos. Fez estudos de Parapsicologia e Desenvolvimento Paranormal, enquanto alinhava os fatos que vinham lhe ocorrendo desde os seus 8 anos de idade, com relação a vidência, aurividência, e os contatos diretos com seres de outros planetas. Com sua falecida primeira esposa, fez um trabalho de mais de 36 anos de estudos e catalogações de variadas fenomenologia existentes.
Últimos Posts de

Deixe um comentário (não precisa ser inscrito neste site para comentar)