As 4 Purusarthas

As 4 Purusarthas

Prévia gratuita

As 4 Purusarthas — Os Quatro Objetivos da Vida

Os domínios da vida encontrados nas 12 Bhavas / Casas são categorizados de acordo com o que a filosofia védica chama de os Quatro Objetivos da Vida, ou os Purusharthas. Os antigos místicos da Índia perceberam que o caminho austero do iogue não era para todos. Eles descobriram que cada existência humana tem quatro objetivos valiosos na vida:

  • Dharma – 1ª, 5ª e 9ª Bhavas / Houses: A necessidade de encontrar nosso caminho e propósito.
  • Artha – 2ª, 6ª e 10ª Bhavas / Casas: A necessidade de adquirir os recursos e habilidades necessários para nos provermos a fim de cumprir nosso caminho e propósito.
  • Kama – 3ª, 7ª e 11ª Bhavas / Casas: A necessidade de prazer e alegria.
  • Moksha – 4ª, 8ª e 12ª Bhavas / Casas: A necessidade de encontrar iluminação e libertação do mundo.

Estes 4 objetivos da vida são repetidos na sequência acima 3 vezes através das 12 bhavas / casas:

  1. Bhavas / Casas de 1 a 4, mostram o processo dentro do Indivíduo.
  2. Bhavas / Casas 5 a 8, mostram a alquimia entre se relacionar com outras pessoas.
  3. Bhavas / Casas 9 a 12, mostram a universalização do Eu.

Purusartha é um conceito-chave no hinduísmo, que afirma que todo ser humano tem quatro objetivos adequados, necessários e suficientes para uma vida plena e feliz:

Dharma: Significa comportamentos que são considerados de acordo com rta[¹], a ordem que torna possível a vida e o universo, e inclui deveres, direitos, leis, conduta, virtudes e ‘maneira correta de viver’. O dharma hindu inclui os deveres religiosos, os direitos morais e os deveres de cada indivíduo, bem como os comportamentos que possibilitam a ordem social, a conduta correta e os que são virtuosos. Dharma, de acordo com Van Buitenen[³], é aquilo que todos os seres existentes devem aceitar e respeitar para sustentar a harmonia e a ordem no mundo. É, afirma Van Buitenen, a busca e execução da natureza e do verdadeiro chamado, desempenhando assim seu papel no concerto cósmico.

Artha: Significa os “meios de vida”, atividades e recursos que permitem que alguém esteja em um estado em que deseja estar. Artha incorpora riqueza, carreira, atividade para ganhar a vida, segurança financeira e prosperidade econômica. A busca adequada de artha é considerada um objetivo importante da vida humana no hinduísmo.

Kama: Significa anseio, desejo, paixão, emoções, prazer dos sentidos, o gozo estético da vida, afeto ou amor, com ou sem conotações sexuais. Gavin Flood[³] explica kāma como “amor” sem violar o dharma (responsabilidade moral), artha (prosperidade material) e a jornada em direção a moksha (liberação espiritual).

Moksha: Significa emancipação, libertação ou liberação. Em algumas escolas de hinduísmo, moksha conota a liberdade do saṃsāra, o ciclo de morte e renascimento. Em outras escolas, moksha conota a liberdade, o autoconhecimento, a auto-realização e a liberação nesta vida.


[¹] Na filosofia védica, ta (sânscrito ऋतं ṛtaṃ “aquilo que é devidamente / excelentemente unido; ordem, regra; verdade”) é o princípio da ordem natural que regula e coordena a operação do universo e tudo dentro dele. Nos versos dos Vedas, ta é descrito como o responsável final pelo bom funcionamento das ordens naturais, morais e de sacrifício. [Fonte]

[²] J. A. B. Van Buitenen, Dharma e Moksha, Filosofia Leste e Oeste, vol. 7, No. 1/2 (abr. – jul., 1957), pg 33-40

[³] Gavin Flood (1996), O significado e o contexto dos Purusarthas, em Julius Lipner (Editor) – Os Frutos do Nosso Desejo, ISBN 978-1896209302, pg 11-13

Significado de Puruṣārtha

Puruṣārtha (sânscrito: पुरुषार्थ) significa literalmente um “objeto de busca humana”. É um conceito-chave no hinduísmo e refere-se aos quatro objetivos ou alvos apropriados de uma vida humana. Os quatro puruṣārthas são Dharma (retidão, valores morais), Artha (prosperidade, valores econômicos), Kama (prazer, amor, valores psicológicos) e Moksha (libertação, valores espirituais).

Todos os quatro Purusarthas são importantes, mas em casos de conflito, o Dharma é considerado mais importante do que Artha ou Kama na filosofia hindu. Moksha é considerado o ideal supremo da vida humana. Ao mesmo tempo, isso não é um consenso entre todos os hindus, e muitos têm diferentes interpretações da hierarquia, e até mesmo se deve existir.

Eruditos indianos históricos reconheceram e debateram a tensão inerente entre a busca ativa de riqueza (Artha purusartha) e o prazer (Kama), e a renúncia de toda a riqueza e prazer em prol da libertação espiritual (Moksha). Eles propuseram “ação com renúncia” ou “ação dirigida pelo dharma, livre de desejo”, também chamada de Nishkam Karma como uma possível solução para a tensão.

Puruṣartha (पुरुषार्थ) é uma palavra composta em sânscrito de Purusha (पुरुष) e Artha (अर्थ). Purusha significa “ser humano”, “alma”, bem como “princípio universal e alma do universo”.  Artha em um contexto significa “propósito”, “objeto de desejo” e “significado”.  Juntos, Purusartha significa literalmente “propósito do ser humano” ou “objeto da busca humana”.

Alf Hiltebeitel traduz Purusartha como “Metas do Homem”. Prasad esclarece que “o homem” inclui homens e mulheres em textos indianos antigos e medievais. Olivelle traduz como os “objetivos da vida humana”.

Purusartha também é conhecido como Caturvarga.


Fonte
Tags da aula: Astrologia Védica, Casas, Jyotisha
Voltar para: Curso em Astrologia Védica > AV102: Casas – Dados Gerais

Deixe um comentário

Conteúdo Protegido por Leis de Direitos Autorais!
Rolar para cima
%d blogueiros gostam disto: